Sobreviver na pandemia: moradia, renda e comida no prato

Por Cláudia Pereira | Rede Jubileu Sul Brasil

Segunda cartilha Sinergia Popular traz reflexões dos impactos da pandemia na luta por moradia e alimento.

Formação local das ações Sinergia Popular no território Planalto Pici, Fortaleza (CE). Foto: Priscilla Sousa

O país registra mais de 530 mil óbitos por Covid-19, apenas pouco mais de 14% da população está protegida com as duas doses ou com imunizante de dose única. Enquanto a taxa de transmissão do Coronavírus cai com morosidade, da mesma forma lenta que ocorre a aplicação das vacinas, a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), reúne diversas denúncias de crimes de prevaricação e corrupção cometidos pelo Presidente, que negligenciou a gravidade da crise sanitária.

Os impactos da pandemia refletem ainda mais o desmonte de políticas públicas de assistência social ocorrido nos últimos anos no país. Famílias mais pobres lutam diariamente pela moradia digna e ainda precisam lidar com a negligência na segurança alimentar.

Para tratar destas e outras problemáticas, a cartilha “Sobreviver na pandemia: moradia, renda e comida no prato” é a segunda publicação  da ação Sinergia Popular e aborda a questão fundamental dos direitos constitucionais que asseguram o direito à moradia e alimentação, além de trazer relatos das  ações concretas nos territórios de Fortaleza (CE), Manaus (AM) e Rio de Janeiro (RJ).

Esta publicação integra o conjunto de três cartilhas que a Rede Jubileu Sul Brasil (JSB), a 6ª Semana Social Brasileira (SSB) e a Central de Movimentos Populares (CMP) estão publicando com os objetivos de formar, mobilizar e fortalecer as articulações de luta por moradia e prevenção de conflitos urbanos.

Para a articuladora Marcela Vieira a cartilha, antes ser um instrumento gera reflexão com as comunidades que se organizam de forma coletiva. “A segunda cartilha do Sinergia nos traz a reflexão de resistência e perspectivas. Ajuda-nos a pensar a partir do nosso lugar e da nossa realidade caminhos para geração de renda e luta”.

Escute a Marcela Vieira

A publicação, que ficará disponível na biblioteca do site do Jubileu Sul Brasil ,traz uma homenagem às mulheres da resistência popular como Janaína dos Santos e Liduína de Lima, mulheres que perderam a vida para a Covid-19 e continuarão sendo referência e presença na comunidade do Coliseu II, em Manaus (AM) e na Raízes da Praia, em Fortaleza (CE), respectivamente.

A cartilha também aborda questões sobre distribuição de renda, consequências do desemprego e formas precárias de trabalho diante das novas tecnologias e  iniciativas da agroecologia em áreas urbanas. Com ilustrações que ajudam a compreender melhor as estatísticas e informativos, a cartilha traz indicações de  leituras, sites e filmes que podem contribuir  na formação de lideranças comunitárias.

As iniciativas da ação Sinergia Popular têm o apoio do Ministério das Relações Exteriores Alemão*, que garantiu ao Instituto de Relações Exteriores (IFA) recursos para implementação do Programa de Financiamentos Zivik (Zivik Funding Program) e é cofinanciado pela União Europeia. A ação também faz parte do processo de fortalecimento da Rede Jubileu Sul e das suas organizações membro.

* Esta matéria foi produzida com a participação exclusiva da Rede Jubileu Sul Brasil, não podendo, em caso algum, considerar-se que reflete a posição do Ministério das Relações Exteriores Alemão, Instituto de Relações Exteriores (IFA), e da União Europeia (UE) sobre o tema.

A seguir

Direitos Valem Mais defende urgência à participação popular no Orçamento

Direitos Valem Mais defende urgência à participação popular no Orçamento