Candidatos presidenciais denunciam fraude eleitoral e pedem comissão de investigação

No último 25 de outubro ocorreu o primeiro turno das eleições para presidente no Haiti. O anúncio dos dois candidatos que passariam para o segundo turno – previsto para dezembro deste ano – foi adiado para amanhã pelo Conselho Eleitoral Provisório (CEP). Ontem, dia 3, oito candidatos à presidência apresentaram e assinaram uma nota onde pedem a criação de uma comissão especial para apurar todas as denúncias de fraude afim de garantir a transparência do pleito. O pedido foi encaminhado ao CEP.

Abaixo, a notícia divulgada pelo Haiti Press Network e traduzida para o espanhol pelo Diálogo 2000 – Jubileu Sul/Argentina, reproduzida pelo Jubileu Sul/Américas.

Oito candidatos presidenciais denunciam fraude eleitoral no dia 25 de outubro e querem uma comissão de investigação

Haiti Press Network, Porto Príncipe, 3/11/15 – Sauveur Pierre Etienne, Moise Jean-Charles, Jude Celestin, Jean-Henry Ceant, Steeven Benoit I., Charles Henry Baker, Eric Jean-Baptiste y Samuel Madistin assinaram conjuntamente uma nota para denunciar os casos de fraude massiva durante as eleições do último 25 de outubro. Também pediram a formação de uma comissão de investigação independente para identificar os casos de fraude e fazer recomendações.

Leia a nota abaixo:

Nós, assinantes da presente nota, candidatos presidenciais que participam no processo eleitoral que deve culminar com a instalação de um novo presidente eleito no dia 7 de fevereiro de 2016:

– Tendo constatado que a jornada eleitora do dia 25 de outubro de 2015 favoreceu casos de fraude massiva que afetam a integridades do escrutínio, o que – em tais condições – se no se faz nada em termos de depuração dos votos, tornariam inaceitáveis os supostos resultados deste pleito;

– Conscientes do perigo que enfrenta a nação e a urgente necessidade de fazer todo o possível para salvar a pátria ameaçada decidimos, sem nos despojar de nossa respectivas posições ideológicas e políticas, pedir ao Conselho Eleitoral Provisório (CEP), antes da publicação dos resultados das eleições de 25 de outubro de 2015, devido aos inúmeros casos de irregularidades e fraudes que marcaram o escrutínio, a formação de uma comissão de investigação independente integrada por cinco membros designados pelos setores críveis: Associação de Meios de Comunicação, sob a supervisão da ANMH; o setor dos Direitos Humanos, sob os auspícios da POHDH; as organizações de mulheres, sob a direção da SOFA; a Universidade, supervisionada pelo reitor da Universidade Estatal do Haiti; e do grupo de observadores nacionais da eleição, sob controle da JILAP.

Esta comissão, dotada do direito de acesso ao centro de contagem ou de qualquer outro lugar apropriado terá por atribuições:

a) depurar o processo de votação mediante a análise das listas eleitorais parciais (LEP), os registros de assinaturas e folhas de contagem, as atas e as queixas apresentadas com vistas a detectar os casos de fraude;

b) identificar e recomendar a exclusão do processo tanto daqueles que o cometeram como aqueles que se beneficiaram dos casos de fraude encontrados;

c) recomendar todas as medidas oportunas para restabelecer a confiança e garantir a transparência necessária para a continuidade do processo eleitoral;

A comissão, que poderá ser acompanhada por especialistas críveis e imparciais, deve cumprir sua missão histórica em um prazo superior aos quinze dias corridos.

Os observadores eleitorais, partidos políticos ou candidatos à Presidência poderão observar o desenvolvimento do trabalho da comissão.

Em seu coração e mente e preocupados pelo futuro do país, os assinantes esperam que se tomem medidas urgentes ao respeito.

Seguem as assinaturas:

Sauveur Pierre ETIENNE

Moise JEAN-CHARLES

Jude CELESTIN

John Henry CEANT

Steeven I. BENOIT

Charles Henry BAKER

Eric JEAN-BAPTISTE

Samuel MADISTINS

http://hpnhaiti.com/site/index.php/politique/17232-haiti-elections-7-candidats-a-la-presidence-font-front-commun-pour-denoncer-les-fraudes-massives

A seguir

PEC 215: O extermínio dos Povos Indígenas e das Populações Tradicionais do Brasil

PEC 215: O extermínio dos Povos Indígenas e das Populações Tradicionais do Brasil