Seminário Nacional Mudanças Climáticas se realizará em Brasília

Por Rogeria Araújo | Comunicação JSB A rede Jubileu Sul Brasil estará presente no Seminário Nacional Mudanças Climáticas e Justiça Social que será realizado de 25 a 28 de outubro em Brasília, no Centro Cultural de Brasília. Com o tema “Ouvir os gritos e celebrar a vida dos pobres e da Terra”, o seminário é uma realização do Fórum Mudanças Climáticas e Justiça Social e da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e tem apoio da Misereor.

Representantes da rede têm participado das várias etapas que antecederam o Seminário Nacional. Um dos eventos – parceria do JSB e Fórum – tratou sobre a financeirização da natureza, em São Paulo, reunindo povos indígenas, quilombolas, pescadores e ribeirinhos para abordar problemas em comum e estratégias. Em seguida, outro seminário regional do Fórum reuniu participantes da região Sudeste do Brasil para tratar sobre os problemas das mudanças climáticas e os conflitos socioambientais e territoriais.

Como resultado do encontro estadual em São Paulo foi formada uma articulação estadual do Fórum das Mudanças Climáticas e Justiça Social, tendo o Jubileu Sul Brasil como ponto focal que tem aprofundado, difundido o debate e, principalmente, tem buscado uma articulação no estado entre as várias organizações e territórios. Foram os representantes desta articulação que participaram da jornada do “Fórum MCJS Região Sudeste”, que reuniu ativistas de movimentos e organizações populares de Minas Gerais, Espírito Santo, Rio de Janeiro e São Paulo. De acordo com Guillermo Denaro, integrante da rede Jubileu Sul, os temas trabalhados no Rio de Janeiro deram continuidade à pauta tirada em São Paulo.

“O tema dos seminários nacionais indicado pelo FMCJS tem tudo haver com o debate sobre a Dívida Ecológica que o Jubileu Sul tem feito ao longo destes últimos 10 anos. O sistema do aquecimento global, que gera as mudanças climáticas é o mesmo sistema que sustenta o endividamento. Fazer esta relação das mudanças climáticas com a dívida, seja ela financeira, climática, ecológica, histórica e social, é fundamental para que o Estado seja responsabilizado e, principalmente, as empresas, as transnacionais que são as grandes responsáveis pelo aquecimento e as mudanças no planeta, sejam responsabilizadas. O que precisamos é uma mudança no sistema e não uma mudança no clima”, afirma Rosilene Wansetto, da secretaria da rede Jubileu Sul Brasil.

Para Guillermo, “diante destas agressões à “Casa Comum” e preocupados com ‘Que tipo de mundo queremos deixar a quem vai suceder-nos, às crianças que estão a crescer?’ esperamos do encontro Nacional do Fórum das Mudanças Climáticas e Justiça Social, que os gemidos da Mãe Terra maltratada e saqueada se unam aos de todos os abandonados do mundo, para formarmos todos juntos um poderoso circuito de afetos capaz de fazer germinar uma identidade que frutifique na forma de uma força solidaria”.

Para mais informações:http://fmclimaticas.org.br/

Programação

Dia 25 – REUNIDOS NO AMOR À TERRA E SEUS FILHOS E FILHAS

12h Almoço
14h Acolhida e apresentação
Responsáveis: Secretariado da Cáritas Brasileira
14h40 Apresentação da programação e encaminhamento da primeira atividade
14h50 Grupos de trabalho – Preparação dos Relatórios dos Seminários Regionais
15h40 Intervalo
16h Apresentação dos 6 Seminários
18h Apresentação do Grupo Executivo Nacional
19h Jantar
20h Reunião de grupos das bases – preparação dos depoimentos
Reunião da comissão da carta do seminário

Dia 26 – OS CAUSANTES DOS DESEQUILÍBRIOS SOCIOAMBIENTAIS

8h30 Acolhida e Motivação
Responsáveis: Região Sul e Centro Oeste
9h Mesa de pessoas das bases
10h Facilitação gráfica
– apresentação da primeira versão do mapa das mudanças climáticas, suas consequências na vida da população, ações de enfrentamento.
10h30 Intervalo
11h Mesa de assessores
Prof. Alexandre Araújo Costa – Universidade Estadual do Ceará
Prof. Simone Santos Oliveira – Fiocruz
12h30 Almoço

14h30 Continuação dos trabalhos
Energia solar na Paraíba – Francisco Lopes da Silva (CERSA)
Energia solar em Brasília – (Representante da SEMA, DF)
Lutas por cobrança de dívida ecológica – Guillermo Denaro (Rede Jubileu Sul Brasil)
14h45 Debate em plenária
16h Intervalo
16h30 Aprofundamento de dimensões da
realidade – (20 min cada apresentação)
– COP 21
– Fracking
– Energia alternativa
– Estratégias na luta por direitos coletivos
16h30 Intervalo
18h Plenária
19h Jantar
20h Confraternização e noite cultural
(comida e apresentações típicas)

Dia 27 -AVANÇANDO NA CONVIVÊNCIA COM A TERRA

8h30 Acolhida e Motivação
Responsáveis: Região NE e SE
9h Grupos de trabalho – grandes desafios e alternativas
10h30 Intervalo
11h Plenária
12h Almoço
14h Continuação dos trabalhos
14h15 Relatos de práticas de parcerias (10 min cada apresentação)
Frente por uma nova política energética para o Brasil – Joilson Costa
Lutas contra energia eólica – Ormezita Barbosa (CPP)
Lutas contra energia nuclear – Zoraide Vilasboas (AAB)
Lutas contra hidroelétricas – Brent Millikan (IR)
Lutas contra o Fraking – Reginaldo Urbano Argentino (COESUS)
Lutas contra o pré-Sal – Marcelo – ( FASE )

20h Intercâmbio de práticas locais – (5 min para cada apresentação)

Dia 28 – É AINDA TEMPO DA PALAVRA, MAS É MUITO MAIS TEMPO DE AÇÃO
8h30 Acolhida e motivação
Responsáveis: Grande Região Norte
9h Plenária – aprovação da carta do seminário
9h45 Plenária – relatório financeiro do FMCJS
10h15 Intervalo
10h45 Grupos de trabalho – avaliação do processo dos seminários regionais e nacional
11h30 Plenária
12h Encerramento
13h30 Próximos passos
– planejamento
– Reunião dos afetados/as por desastres socioambientais
– Reunião com o grupo de assessores
– Reunião das entidades do FMCJS e parceiras de cada grande região

A seguir

Nota da Comissão Episcopal Pastoral Para o Serviço da Caridade, da Justiça e da Paz SCJP

Nota da Comissão Episcopal Pastoral Para o Serviço da Caridade, da Justiça e da Paz SCJP