Comemoração e Memória: Plebiscito Popular da Dívida Externa

Um homem inclina o corpo sobre uma mesa e assina um papel. Duas mulheres sentadas o observam. Na parte superior da imagem, uma colagem de palavras forma a frase: "20 anos Plebiscito da Dívida Externa". Ao fundo um há um girassol

Realizado entre os dias 2 e 7 de setembro do ano 2000, com mais de 50 mil urnas em cerca de 3 mil municípios e o apoio de 100 mil voluntários, o Plebiscito Popular da Dívida Externa deu voz à população brasileira e representou um acúmulo de eventos (como, por exemplo, o Simpósio e o Tribunal sobre a Dívida Externa, campanhas e debates, promovidos pelos movimentos populares sobre o endividamento público).

Mais de seis milhões de pessoas em todo o país, o equivalente a 5,16% do eleitorado brasileiro (com base nos dados de 1998) compareceram às urnas. Cerca de 90% dos votantes optaram pelo não pagamento da dívida externa, pela não manutenção do acordo firmado pelo governo do país com o FMI (Fundo Monetário Internacional) e pelo não comprometimento do Orçamento com o pagamento da Dívida Interna.

O dia 7 de setembro de 2000, além de ter sido o último dia de votação do Plebiscito Popular, foi a data da 6ª edição do Grito dos/as Excluídos/as. Saiba mais sobre esse movimento na próxima postagem desta série informativa.

👉 Sobre a série informativa Comemoração e Memória: é uma das iniciativas de celebração dos 20 anos do Plebiscito Popular da Dívida Externa, realizado no Brasil entre os dias 2 a 7 de setembro do ano 2000. O objetivo dessa ação é falar sobre os momentos históricos que ajudaram a construir o Plebiscito e sobre as ações que surgiram depois dele. Comente e compartilhe esta postagem, para que a história das mobilizações populares reverbere e inspire ações em defesa da vida, que sempre deve estar acima de qualquer dívida.

A seguir

#ForaPompeu - Jubileu Sul se posiciona contra ações imperialistas contra Venezuela e a soberania de seu povo

#ForaPompeu - Jubileu Sul se posiciona contra ações imperialistas contra Venezuela e a soberania de seu povo