Ato no Consulado do México no Rio de Janeiro pede retorno de Gustavo Castro a seu país

Há exatas duas semanas, a ambientalista Berta Cáceres foi assassinada em Honduras. Ao seu lado, estava o ambientalista mexicano Gustavo Castro, que não foi assassinado porque se fingiu de morto. Apesar de já ter dado todas as informações possíveis para as autoridades hondurenhas, ele está impedido de retornar à sua casa.

Na manhã desta quinta-feira, 17 de março, integrantes da Rede Jubileu Sul Brasil e militantes mexicanos estiveram no Consulado-Geral do México, na cidade do Rio de Janeiro, para exigir que o governo mexicano atue para proteger Gustavo Castro, assim como possibilitar seu retorno ao país.

Em outras partes do mundo, ações parecidas estão sendo realizadas para que o governo mexicano intervenha para garantir a segurança de um de seus cidadãos.

Uma carta assinada pela rede Jubileu Sul Brasil, Instituto Políticas Alternativas para o Cone Sul (PACS) e pelo Coletivo Memória e Resistência México/Brasil foi protocolada no Consulado.

A seguir

Missão internacional vai até Honduras pedir justiça para Berta Cáceres

Missão internacional vai até Honduras pedir justiça para Berta Cáceres